Imagem: Reprodução / NZ Brasil

Encerramos recentemente o maior período de crescimento da economia global já registrado pela história, com valorizações recorde de bolsas e mercados ao redor do mundo. Tudo isso chegou ao fim com a crise global que estamos vivenciando em decorrência do COVID-19. Notícias de mercados quebrando, países em crise e pessoas perdendo seus empregos, já viraram parte da nossa rotina diária. Mas o que fazer em meio a tanta instabilidade? Como proteger seu patrimônio e se preparar para o que vem a seguir? Trataremos disso nesse artigo, que tem foco às pessoas que estão atualmente na Nova Zelândia, mas que pode gerar valor a pessoas em situações semelhantes nos quatro cantos do planeta.

A primeira pergunta a se fazer é: O quanto eu realmente estou preparado para a crise?

O primeiro passo é entender o quão delicada é a sua situação e fazer isso é relativamente simples. As perguntas essenciais a serem respondidas são:

1) Quanto de dinheiro tenho disponível no banco ou em investimentos de liquidez imediata?
2) Qual o meu custo fixo semanal, incluindo aluguel, carro, cartão de crédito e despesas diversas?
3) Quanto tenho em ativos (carros, casas, jóias...) e quais desses ativos podem ser liquidados (ou vendidos) com relativa facilidade?
4) Quais são as chances de eu perder o meu emprego ou fechar a minha empresa em meio a crise?

Após responder a essas 4 perguntas, você deverá calcular quanto tempo você tem condições de manter suas contas em dia caso pare de receber e o quão importante (ou necessário) será você diminuir suas despesas e liquidar parte do seus ativos para poder sobreviver financeiramente à crise.

O ideal é você ter o equivalente a no mínimo 3 meses de contas pagas em dinheiro imediatamente disponível. E caso você tenha menos do que isso, considere a possibilidade de vender parte dos seus ativos para constituir o seu fundo de emergência.

Mantenha-se à frente das contas

Depois de entender de forma clara a sua atual posição financeira e o quão delicada (ou sólida) ela é, você deverá voltar seu foco aos seus credores. Manter a comunicação de forma consistente com seus credores poderá evitar muito estresse no futuro próximo.

Caso você tenha seu fundo de emergência, não perdeu o emprego ou fechou sua empresa e acredita que está em uma posição financeira sólida, o melhor a se fazer agora é estudar a possibilidade de abertura de linhas de crédito pré-aprovadas e/ou rotatórias com o seu banco, para que em casos extremos você ainda tenha aonde recorrer de forma rápida. Os bancos - principalmente na Nova Zelândia - valorizam bastante esse tipo de atitude, que reflete responsabilidade e maturidade financeira. E lembre-se, as linhas de crédito são para momentos de extrema necessidade e você não deverá utilizá-las a não ser que realmente não haja outra opção.

E se você se encontra em uma situação mais delicada e acredita que eventualmente irá necessitar de crédito ou suporte para poder sobreviver a tempestade que se avizinha, o momento de pedir ajuda é agora, enquanto você ainda está de pé. Dentre atitudes que poderão te ajudar em meio a crise: a) busque fazer projeções orçamentárias e soluções de crédito junto ao seu banco; b) caso você pague aluguel, entre em contato com seu landlord, faça-o ciente de sua situação e tente negociar o valor ou o prazo de pagamento do seu aluguel para os próximos meses; c) diminua drasticamente seus custos fixos; d) busque auxílio do governo e d) busque ajuda de amigos e familiares.

Lembre-se de que todos valorizam a honestidade e o aviso prévio. Em meio a essa crise estamos todos em uma situação de incerteza e o melhor que você pode fazer é agir antes do fato e buscar a solução para o problema antes mesmo que o problema aconteça.

Os investimentos podem esperar

A não ser que você seja um investidor profissional, a recomendação é que você passe longe dos mercados por agora e seja mais conservador com os seus investimentos em quaisquer outros tipos de ativos.

O momento agora é de "defender" e não "atacar", e ao menos que você tenha um apetite de risco extremo, agir de forma mais consciente e conservadora poderá ajudar você a sair dessa crise mais forte. Não sabemos como será o amanhã e a liquidez - como em todos os momentos de crise - é extremamente importante ante a situação de incertezas à frente.

Seja criativo e busque uma fonte de renda secundária

Com a expectativa de estarmos todos em quarentena em um futuro próximo, agora é o melhor momento para soltar a criatividade e buscar fontes de renda alternativas. Qualquer centavo conta e otimizar o seu tempo livre com uma atividade que colocará mais dinheiro no seu bolso poderá ser um diferencial importante em meio a crise.

Cuidado com golpes e scams

A crise traz o melhor e o pior das pessoas e como esperado, já existem inúmeras empresas online com promessas ridículas de rendimentos absurdos para trabalhar de casa. Cuidado! Essas empresas se aproveitam de pessoas em situações de fragilidade para lucrarem com promessas que nunca irão cumprir. Sempre busque referências sólidas e pesquise bastante antes de aceitar qualquer convite para fazer parte de um esquema "mágico" de trabalho.

Quer mais conteúdo? Inscreva-se gratuitamente.

Junte-se à nós no Whatsapp.

Junte-se à nós no Facebook.

Seja um assinante premium.

Este post foi patrocinado por:

Posts Recentes

Como organizar suas finanças em meio a crise
Classificado como:                    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Chinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseSpanish